Jogo simbólico inovador
23 de agosto de 2018

Propomos ao G2 uma nova brincadeira. Em roda, construímos uma lista com os nomes das brincadeiras que gostariam de brincar naquele dia, cada criança pontuou o que desejava fazer, porém não entregamos os materiais necessários para brincar de carrinho, casinha, salão de beleza, coisas que as crianças haviam falado.

O desafio foi construir a brincadeira desejada com o material oferecido. Algum tempo atrás, solicitamos às famílias que nos enviassem materiais recicláveis que muitas vezes costumamos jogar no lixo, como embalagens plásticas e de papel. Montamos na sala, uma grande caixa com esses materiais, nomeamos como materiais não estruturados, pois são objetos descartáveis que contribuem com a aprendizagem das crianças.

Quando apresentamos a caixa ao grupo, nos deparamos com um momento muito rico de descobertas e construções inovadoras. Aquelas brincadeiras sugeridas em uma roda aconteceram, porém de forma construída pelo grupo com materiais apresentados. Durante a brincadeira muitas falas nos chamaram atenção, pelo simples fato de poder proporcionar momento de descobertas e explorar a criatividade com elementos que poderiam ser descartados. Vejam:

  • “Nossa Nati, a gente tem brinquedos novos!”
  • “A gente pode fazer muitas coisas.”
  • “A caixa é a minha casa!”
  • “Quem quer tomar um pouco de suco?”
  • “Estou brincando com um foguete, que vai para outro planeta.”
  • “Eu tenho um binóculo muito grande.”

Essa proposta surgiu inspirada na seguinte frase de Mário Quintana: “As crianças não brincam de brincar, brincam de verdade.” Entendemos assim que é importante na educação deixar as crianças explorarem os materiais simples e assim poderão deixar a imaginação livre.

Apreciem as fotos.